Notícia Destaque

Missão de assistência integrada: Destacamentos de Maceió e Aracaju recebem atendimento odontológico

publicado: 28/05/2019 14:23

 






A missão de assistência integrada itinerante aos Destacamentos de Controle do Espaço Aéreo de Maceió (DTCEA-MO) e Aracaju (DTCEA-AR), subordinados ao Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA III), começaram com a preparação e translado de equipamentos e insumos odontológicos no domingo (5), um dia antes da data prevista para o atendimento.

O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) deslocou o 2º Segundo Esquadrão de Transporte Aéreo (ETA) para transportar a equipe de profissionais da Odontoclínica de Aeronáutica de Recife (OARF), coordenada pela Capitão Dentista Daniela Asfora de Oliveira.

Primeira parada – O Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Maceió (DTCEA-MO) situa-se a 27 quilômetros da cidade de Maceió, no município de Rio Largo, onde está o principal aeroporto de Alagoas: o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares. Rio Largo é a segunda cidade mais populosa da região metropolitana do estado, com população de 74.838 pessoas, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O município carece de serviços públicos, no entanto, o DTCEA-MO recebe apoio de saúde por meio de clínicas localizadas em Maceió. No Destacamento também há um posto médico e odontológico. Atendimentos não emergenciais são oferecidos ao efetivo de 113 militares e aos demais 530 residentes, entre dependentes, reservistas e pensionistas que moram em Rio Largo e adjacências.

Apesar do apoio prestado na área de saúde, quem necessita realizar tratamentos odontológicos de maior complexidade deve se deslocar à Odontoclínica de Recife, na capital pernambucana, que fica a aproximadamente 250 quilômetros de distância de Rio Largo.

Por esta razão, a 1° Tenente QOCON Dentista Tunísia Mayara Procópio Silva, que atende no posto médico do DTCEA-MO, a missão de assistência integrada odontológica deve acontecer periodicamente, principalmente em função da grande demanda em outras especialidades.

“Como não temos convênio local para procedimentos odontológicos, a vinda de especialistas evita que as pessoas precisem se deslocar até Recife ou façam tratamentos particulares”, contou a Tenente Tunísia, responsável pela triagem de pacientes.

Nos dois dias e meio da missão itinerante no DTCEA Maceió 38 pacientes realizaram 161 procedimentos. Entre eles: tratamento de canal (endodontia), doenças da gengiva (periodontia), cirurgias e extração (cirurgia e traumatologia buco-maxilo-facial), avaliação do uso de aparelhos corretivos (ortodontia) e atenção à saúde bucal de crianças (odontopediatria).

“Foram realizados tratamentos complexos e mais demorados, mas em uma consulta todas as necessidades foram plenamente atendidas”, esclareceu a Tenente Tunísia, que a partir deste mês conta com o Aspirante QEOCON Dentista Helder Lima Rebelo na odontologia local.

O Destacamento recebeu ainda o apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Habitação, que deslocou profissionais para aplicação de vacinas contra a Hepatite B e Influenza. Foram realizados também pelos profissionais testes rápidos para detecção de HIV, sífilis e hepatites virais.

A assistente social do CINDACTA III, Primeiro Tenente Priscilla Ferreira de Queiroz Albuquerque, fez visitas institucionais, além de uma palestra sobre benefícios sociais concedidos aos militares da Força Aérea Brasileira.

Para o Comandante do DTCEA-MO, Major Especialista em Comunicações Diógenes da Rocha Garcez, é literalmente gratificante ver o sorriso do efetivo e dos dependentes, que moram na vila militar e no município.

“Às vezes o posto médico recebe aquele paciente que precisa esperar muito tempo até que sua necessidade seja concluída. Quando vêm uma série de profissionais altamente especializados, para nós, que estamos na ponta da linha, é algo muito importante e mostra o censo de pertencimento a Força Aérea. Tenham certeza de que estão fazendo algo muito importante, esta missão prova que estamos isolados, mas não esquecidos”, pontuou.

A missão de saúde itinerante já faz parte do calendário do DTCEA-MO, assim algumas pessoas aguardam a chegada dos especialistas para fazer o tratamento. Elisabeth Firmino Moreira, por exemplo, trouxe a filha Ana Luisa, de 4 anos, para a primeira consulta com a odontopediatra. “Achei muito bom o atendimento, nos trataram muito bem. Descobriram e trataram duas cáries na minha filha e fizeram selagem e limpeza”, contou.

Este foi o caso de Verônica P. Gomes de Moraes, esposa do Primeiro Sargento SAD Joás Ferreira de Moraes, que trouxe a filha Gabriela, de 6 anos. “É muito cansativo se deslocar para Recife. Teremos de avaliar se faremos um plano de saúde odontológico para fazer o tratamento dela em Maceió ou se iremos para Recife”, explicou.

Verônica passou por um tratamento odontológico em que precisou ir várias vezes a OARF. “Fiz tratamento de canal e meus dentes da frente escureceram. Era para fazer coroa, mas aqui não tinha, então tive que ir para Recife várias vezes até concluir os procedimentos”.

O Major Rocha fez um agradecimento especial ao DECEA que, como órgão central, tem a trabalha de forma prática a partir da sondagem das pesquisas de fatores humanos feitas nos destacamentos. “Hoje nos sentimos bem assistidos por conta desta missão. Levem nosso agradecimento aos responsáveis por este projeto, não só do nosso destacamento, mas de todas as localidades isoladas”, finalizou.

DTCEA-Aracaju

O próximo destino da equipe de odontologia da OARF foi a 268 quilômetros de distância de Rio Largo rumo ao Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Aracaju (DTCEA-AR), localizado no Aeroporto Internacional de Aracaju - Santa Maria.

O DTCEA-AR tem um efetivo de 102 pessoas, entre militares e civis, mais dependentes. Porém, como o DTCEA-MO, possui sob sua responsabilidade mais de 500 pensionistas e reservistas. Somando todos os grupos, este número chega perto de 1000 indivíduos.

Por não dispor de um Hospital de Aeronáutica, a capital do Sergipe possui várias clínicas credenciadas para o atendimento médico. O Destacamento também dispõe de um clínico geral e uma dentista, recém-incorporados à Força Aérea Brasileira.

Atendimentos mais complexos também são realizados apenas na Odontoclínica de Aeronáutica de Recife (OARF), para a qual é preciso se deslocar pouco mais de 500 quilômetros por via terrestre. Para chegar até lá de carro ou ônibus são mais de oito horas na estrada. A distância e o tempo de viagem pode ser um limitador para o atendimento odontológico.

No caso de Jazeane, esposa do Suboficial Alessandro Siqueira, e dos três filhos, Aêssa, de 11 anos, Alisson (14), e Alexia de 17, as consultas odontológicas são feitas apenas quando a missão de saúde itinerante chega ao Destacamento.

“Antes em Aracaju tínhamos ortodontia, meus três filhos precisam deste tratamento, mas não temos aqui. Há algum tempo vinha uma equipe de Recife todo mês fazer a manutenção de aparelhos, mas não vem mais”, disse. Com a ida de profissionais de várias especialidades nesta missão, Jazeane conseguiu tratar um canal e suas duas filhas também receberam atendimento.

Nos dois dias de missão, 9 e 10 de maio, foram atendidos 53 pacientes entre militares, dependentes e reservistas, além de 42 crianças. Ao todo foram realizados 266 procedimentos.

A Secretaria Municipal de Assistência Social de Aracaju apoiou a missão de saúde itinerante do DECEA com a aplicação de vacinas e testes rápidos para detecção doenças. Também houve a medição de pressão realizada pelo Aspirante QOCON Médico Arthur Felipe Barbosa Vasconcelos.

O efetivo também recebeu palestras sobre benefícios sociais e sobre cuidados com os dentes. A apresentação aconteceu na Vila Militar de Aeronáutica de Aracaju – Brigadeiro do Ar Paulo Costa, nome concedido em homenagem ao único oficial general sergipano da FAB.

Após passar um vídeo com o tema, a odontopediatra Primeiro Tenente Carolina Dornelas Câmara Marques de Almeida fez a demonstração prática da escovação e a aplicação e flúor nas crianças da Vila. No período da tarde, 37 crianças, com idades entre 7 e 11 anos, participantes do Programa Forças no Esporte (PROFESP) atendidas pela Marinha do Brasil, receberam flúor, viram a forma correta de escovar os dentes e ganharam kits de escova e fio dental.

De acordo com o Capitão de Fragata Alessandro Pires Black Pereira, Comandante da Capitania dos Portos de Sergipe, as crianças permanecem um ano no programa. Elas são recebidas na Capitania duas vezes por semana para a prática desportiva ou programas culturais. “É um grupo legal, não temos problemas de disciplina, eles são maleáveis. Temos um planejamento interessante, inclusive para navegação. Temos 10 barcos Optimist (veleiro de pequeno porte indicado para uso infantil) e parte deles está aprendendo a velejar no Rio Sergipe”, completou.

O convite à Capitania dos Portos para participar da missão de saúde itinerante odontológica partiu do Comandante do Destacamento de Aracaju, Capitão André Marcelo da Silva. “Para nós foi muito importante. Recebemos uma equipe da área de odontologia que deu apoio ao nosso efetivo militar, os funcionários civis públicos e também aos dependentes. Além disso, assistimos a um grupo de mais de 37 crianças do Projeto Profesp. Ficamos gratos pelo apoio e pela atenção que a equipe multidisciplinar estendeu para nós aqui em Aracaju”, opinou o Capitão André Marcelo.

O saldo do trabalho realizado durante a semana da missão de saúde itinerante aos Destacamentos de Maceió e Aracaju foi definido pela coordenadora da Odontoclínica de Recife, Capitão Dentista Asfora, com uma palavra: agradecimento.

Para ela, esta foi uma chance de doar tempo e conhecimento a quem necessita. “Sentimos gratidão por receber o carinho das pessoas e ver a alegria estampada em seus rostos como forma de agradecimento. Gratidão por conseguir trazer um pouco da excelência da odontologia para quem não teria acesso. Gratidão por poder aprender mais do que ensinar. Gratidão por ter uma equipe tão coesa, pró-ativa e incansável”, descreveu de forma emocionada.

No segundo semestre de 2019, a missão de saúde itinerante odontológica continuará a todo vapor.

Assessoria de Comunicação Social do DECEA

Reportagem e fotos: Gisele Bastos