Notícia Destaque

GEPEA finaliza curso de planejamento de espaço aéreo

publicado: 17/06/2019 09:57

 




O Grupo de Estudos sobre Planejamento do Espaço Aéreo (GEPEA) finalizou na sexta-feira (14/06), os cursos de Planejador de Espaço Aéreo (ATM043) e Básico em Planejamento de Espaço Aéreo (ATM043A), conforme previsto no programa de trabalho para 2019





A realização e a validação dos cursos concluíram o trabalho desenvolvido por especialistas do Subdepartamento de Operações (SDOP), do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), do Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA), do Instituto de Controle do Espaço Aéreo (ICEA), do Centro Regional de Proteção ao Voo de São Paulo (SRPV-SP) e do Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II).

A ação faz parte de um processo mais amplo para a estruturação, normatização e organização da atividade de planejamento de espaço aéreo no âmbito do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB).

O curso de planejador de espaço aéreo, realizado de 27 de maio a 14 de junho, teve o objetivo de capacitar os especialistas que irão desempenhar a atividade de planejamento do espaço aéreo, que, basicamente, trata do emprego das técnicas de Organização e de Gerenciamento do Espaço Aéreo (AOM) para elaborar, analisar e propor cenários operacionais de conceitos de espaço aéreo para atender objetivos estratégicos de interesse do SISCEAB.

Já o curso básico em planejamento de espaço aéreo, realizado de 27 de maio a 7 de junho, teve a finalidade de capacitar especialistas de outros setores e organizações do SISCEAB, que, participam ou são afetados pela implementação de conceitos de espaço aéreo no Brasil, como pilotos, controladores de tráfego aéreo e representantes da área de operações de setores da aviação.

Segundo um dos instrutores, Tenente-Coronel Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Clóvis Fernandes Júnior, o curso irá fomentar e melhor divulgar a atividade de planejamento do espaço aéreo, bem como propiciará uma melhor preparação de outros profissionais que participam, direta ou indiretamente, de projetos de Navegação Baseada em Performance (PBN), os quais poderão contribuir de forma muito mais efetiva e colaborativa nas implementações de novos conceitos de espaço aéreo”, esclareceu.

A capacitação dos especialistas que participam do planejamento do espaço aéreo irá mitigar diversos óbices quanto à implementação de conceitos de espaço aéreo no Brasil, como a falta de alinhamento às melhores práticas internacionais e de padronização na aplicação das técnicas de organização e gerenciamento do espaço aéreo; competição entre diversas organizações para conduzir o planejamento de uma mesma porção de espaço aéreo; atrasos e retrabalhos na implementação de projetos PBN; insatisfação e descrença dos usuários (controladores de tráfego aéreo, pilotos e empresas aéreas) quanto à atividade do desenvolvimento de novos conceitos de espaço aéreo.

Os projetos de implementação do conceito PBN no Brasil, tais como a Reestruturação na Área de Controle da Terminal São Paulo (TMA-SP Neo), são afetados diretamente pela criação desses dois cursos, uma vez que o desenvolvimento dos cenários operacionais que descrevem a organização e o gerenciamento do espaço aéreo, bem como a circulação aérea, dentro de uma determinada porção do espaço aéreo, têm relação direta com a atividade de planejamento do espaço aéreo. Essa é a principal tarefa a ser desenvolvida para a implementação do conceito PBN e exige grande especialização e competência dos profissionais que a executam.

Para o Major Pogianelo, um dos instrutores do curso, diversos aspectos fazem parte do planejamento do espaço aéreo e da necessidade de uma capacitação plena do especialista. “Planejar o espaço aéreo requer diversas competências e habilidades para coletar e analisar os dados de tráfego aéreo, compreender a distribuição geográfica de fluxos, do mix de aeronaves e da performance das aeronaves, visando conceber os cenários operacionais para definição dos novos fluxos de chegada e saída para um aeródromo, da estrutura de rotas e dos procedimentos de navegação aérea, bem como dos meios que atendam ao conceito de espaço aéreo desejado e aos objetivos estratégicos estabelecidos para aquele projeto”, afirmou.



De acordo com o Tenente-Coronel Fernandes Júnior, a capacitação em planejamento de espaço aéreo está alinhada aos anseios do DECEA para a padronização e aperfeiçoamento das técnicas utilizadas nesta atividade. “A partir de agora, poderemos contar com um profissional melhor capacitado, o que irá atender de forma mais ampla e eficiente aos interesses dos usuários e reduzir o tempo e o custo para as implementações de novos conceitos de espaço aéreo no SISCEAB”, disse.

Participaram dos cursos como instrutores, o Tenente-Coronel Fernandes Júnior (ICA), o Major Pogianelo (CINDACTA II) e o Tenente Miranda (ICA); e como alunos e auxiliares de validação dos cursos, o Capitão Mendes (CGNA), os Tenentes David (CGNA), Adão (ICA), Topini (ICA) e Guilherme (SRPV-SP), o Suboficial Wilson (ACC-CW), e os Sargentos Jackson (APP-FL) e Fioravante (APP-SP).



Outras duas turmas com alunos de diversas organizações, incluindo operadores dos diversos segmentos da aviação, aeroportos, órgãos de controle de tráfego aéreo, estão previstas para acontecerem ainda este ano, totalizando a formação de cerca de 70 profissionais.


Assessoria de Comunicação Social do DECEA

Texto e Fotos: Tenente-Coronel Fernandes Júnior (ICA)

Edição: Denise Fontes


Assunto(s): GEPEA