Notícias

DECEA promove 2º Simpósio Integrado de Segurança Operacional

publicado: 12/08/2019 11:15

 




As boas práticas e a modernização dos serviços de tráfego aéreo foram abordados durante o 2º Simpósio Integrado de Segurança Operacional promovido pelo Destacamento de Controle do Espaço Aéreo do Galeão (DTCEA-GL), unidade subordinada ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), em parceria com a Concessionária Riogaleão.

O evento reuniu diversos segmentos da comunidade aeronáutica, como provedores dos serviços de navegação aérea, autoridades reguladoras, órgãos governamentais, instituições acadêmicas e usuários do espaço aéreo, no dia 8 de agosto, no Rio de Janeiro (RJ).

“O evento teve o objetivo de promover a segurança operacional por meio da troca de experiências e informações, visando a eficiência e a integração das operações aeroportuárias e de navegação aérea do Rio de Janeiro”, afirmou o comandante do DTCEA-GL, Major Aviador João Carlos Perpetua Barbosa.

Na abertura, o diretor de Operações do Riogaleão, Herlichy Bastos, deu as boas-vindas aos participantes e destacou a relevância do tema. “A segurança operacional sempre foi a nossa prioridade, trabalhamos de forma colaborativa, visando a excelência nos serviços oferecidos”. O chefe do Subdepartamento de Operações do DECEA, Brigadeiro do Ar Ary Rodrigues Bertolino, compartilhou da mesma opinião. “Esta prática também é amplamente utilizada pelo DECEA. O simpósio é de suma importância para a troca de conhecimentos e interação entre diversos órgãos  da navegação aérea”.



O simpósio, transmitido, ao vivo, pelo Canal DECEA do Youtube, contou com palestras, painéis, fóruns para discussões e apresentação da Banda Conexom, formada por jovens do Projeto Conexão Escola de Tubiacanga, voltado para a preservação do meio ambiente. A iniciativa é promovida pelas áreas de Segurança Operacional e Sustentabilidade do Riogaleão.



Programação

Palestrantes de referência da aviação brasileira reuniram-se para disseminar o conhecimento sobre as melhores práticas e as novas tecnologias dos serviços de tráfego aéreo. Foram debatidos assuntos relacionados à concepção do risco no incremento da segurança operacional, a automação como fator contribuinte, as mudanças climáticas e seus impactos nas operações aéreas e aeroportuárias e os riscos da fauna na circulação aérea do Rio de Janeiro.

Para o Especialista em Regulação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e mediador dos painéis do simpósio, Rodrigo Flório Moser, um grande diferencial foi a abordagem ampla dos assuntos, com representantes de diversas entidades e temas variados nas apresentações, que com o debate se mostraram integrados e sistêmicos. “Tanto a crescente automação dos sistemas a bordo e em solo, quanto as mudanças climáticas e a presença de avifauna nos aeroportos e seu entorno, constituem um desafio constante para os pilotos e especialistas do setor em lidar com situações inesperadas e os riscos que trazem consigo. Debater esses assuntos de forma integrada favorece a percepção do risco e o gerenciamento da segurança”, pontuou.

O encontro tratou, ainda, de temas como o Projeto Landell, que tem o objetivo de operacionalizar as comunicações entre controlador de tráfego aéreo e piloto por meio de enlaces de dados (CPDLC) no espaço aéreo superior continental brasileiro, para aeronaves que utilizam o sistema data link de primeira geração (FANS 1/A+ - Future Air Navigation System).

“A CPDLC promoverá um incremento da segurança operacional e melhoria do serviço de controle de tráfego aéreo no Brasil por meio da disponibilização de um meio adicional para comunicações aeronáuticas não suscetível a ruídos, possibilidade de maior automação e gerenciamento das comunicações e diminuição de erros na fraseologia, gerando uma redução na carga de trabalho dos controladores e pilotos”, explicou o gerente do Projeto Landell, Capitão Especialista em Comunicações Marcelo Mello Fagundes.

Todas as palestras estão disponíveis no youtube e podem ser acessadas por meio deste link.

Segurança Operacional em foco

Para a Sargento Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Carla Cristina Barros Amaral, do Controle de Aproximação do Rio de Janeiro (APP-RJ), o simpósio proporcionou um aprendizado sobre prevenção ao debater o tema com todos os elos do sistema. “É uma oportunidade de entender a realidade de uma cabine de voo, receber maior suporte da meteorologia, entender bem as legislações e agir de acordo com elas, além de buscar sempre aliar a segurança à eficiência, economicidade e, consequentemente, à sustentabilidade”.



O evento foi elogiado, também, pelo Piloto do Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1º/1º GT – Esquadrão Gordo), Tenente Aviador Glauber Leonardo Lança, que ressaltou a importância do conhecimento de todos os fatores que podem influenciar o voo. “O simpósio foi extremante produtivo, pois abordou temas que englobaram desde a parte operacional, como a automação das aeronaves como fator contribuinte na segurança operacional até assuntos que influenciam diretamente a atividade aérea e que são bastante atuais, como risco da fauna e mudanças climáticas no contexto aeronáutico. Assim, absorvendo e aplicando todos esses conhecimentos na rotina de voos da unidade aérea é possível realizar voos muito mais seguros e garantir o cumprimento da missão”, avaliou.

No encerramento, o chefe do Serviço Regional de Proteção ao Voo de São Paulo (SRPV-SP), Coronel Aviador Anderson da Costa Turola, agradeceu a presença de todos e destacou a necessidade de fortalecer a cultura de segurança operacional. “É fundamental para manutenção de nossa missão de proporcionar o serviço de navegação aérea, seja voltado para o controle de tráfego aéreo ou da parte da infraestrutura operacional”, enfatizou o oficial.

Assessoria de Comunicação Social do DECEA
Reportagem: Denise Fontes
Fotos: Fábio Maciel