Notícias

Ativação do CIMAER moderniza as atividades de meteorologia aeronáutica

Nova Unidade da FAB dispõe de um modelo de previsão meteorológica centralizada


publicado: 05/07/2019 11:45

 






As informações meteorológicas são cada vez mais utilizadas no dia a dia das pessoas, seja para fazer um planejamento de uma viagem ou, até mesmo, para saber o que vestir ou usar de acordo com a previsão do tempo.

A sociedade, cada vez mais, interage com os meios a que tem acesso e isso também ocorre com a Meteorologia da Aeronáutica, que é imprescindível quando se trata de segurança das operações aéreas, contribuindo para o estabelecimento de rotas mais rápidas (diminuindo o gasto de combustível e emissão de CO²), econômicas e que possibilitam voos regulares.

Diante desse cenário é que a Meteorologia da Aeronáutica passa por transformações na sua estrutura e na forma de prestação de serviço à população.

Foi inaugurado, no dia 23 de março de 2019, o Centro Integrado de Meteorologia da Aeronáutica (CIMAER), ativado pela Portaria Nº 579/GC3 de 12 de abril de 2019. A finalidade da nova Unidade Militar da Força Aérea Brasileira, é a prestação de serviço de previsão e vigilância meteorológica de forma centralizada em todo o Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB).

“Subordinada ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), o CIMAER contribui para a otimização de recursos e eficiência na prestação de serviço da meteorologia. Quando estiver operando na sua totalidade, todos os previsores estarão reunidos com seus operadores, possibilitando, assim, uma tomada de decisão colaborativa, potencializando os meios, de forma a dispor uma previsão única para todo o Brasil” – disse o Tenente-Coronel Francisco Pinheiro Gomes, comandante do CIMAER.

Antes da criação do CIMAER, o serviço de meteorologia era realizado por meio de Estações Meteorológicas de Superfície (EMS) e de Altitude (EMA) e dos Centros Meteorológicos de Vigilância (CMV) e Centros de Vigilância de Aeródromo (CMA). Desses serviços, o CIMAER vai abarcar exclusivamente as atividades dos CMV e CMA.

Até o ano passado as previsões eram feitas de forma descentralizadas, ou seja, cada Regional prestava informação apenas para sua área de responsabilidade. Isso gerava, muitas vezes, redundâncias nas informações. "Com a ativação do CIMAER, além das previsões serem consensuais e únicas para uma mesma região, o nível de integração com o gerenciamento de tráfego aéreo será elevado, permitindo um aperfeiçoamento na prestação de serviço” – esclareceu o Tenente-Coronel P. Gomes.

Hoje, o CIMAER opera oferecendo serviço nas áreas de Manaus (AM), Recife (PE) e parte de Brasília (DF). Em Manaus, o serviço é prestado oferecendo previsões para a parte alta da atmosfera, atendendo, principalmente, as aeronaves em voo. Já em Brasília, a atuação se dá na parte baixa, para aeronaves, principalmente, em pouso e decolagem. Em Recife, o atendimento é voltado para as duas áreas e engloba também o oceano Atlântico, desde próximo ao Equador até a ponta sul da América do Sul.

“Nós trabalhamos nessa grande área fazendo monitoramento 24 horas para enviar avisos, além disso fazemos previsões específicas para cada aeródromo e uma carta de grande área que abarca essas regiões” – contou o Capitão Especialista em Meteorologia Paulo César Silva da Costa, previsor do CIMAER.

Uma das ferramentas utilizadas é o Radar Meteorológico, que garante uma previsão para até duas horas. Com a operação dos radares concentradas em um único centro, será possível traçar estratégias de operações de maior complexidade, visando o monitoramento de áreas que apresentem condições meteorológicas adversas, confeccionando e enviando produtos diversos, que estão disponíveis na Rede de Meteorologia do Comando da Aeronáutica (REDEMET). Através dessa página, a visualização dos radares também pode ser feita diretamente pelo piloto ou outro usuário, caso ele não queria consultar o previsor e precise de uma informação para até duas horas.

Hoje, militares que atuavam na Região de Informação de Voo de Manaus (FIR-MN) e de Recife (FIR-RE), já se encontram operando no Centro Integrado de Meteorologia. “Em dezembro estarão prontos para o trabalho os militares que prestam informação meteorológica em Brasília. No próximo ano, em março, receberemos o efetivo que trabalha em Curitiba, completando o quadro de efetivo do CIMAER” – afirmou o comandante.

A transformação não acorre somente na FAB, pois a sociedade brasileira também pode desfrutar dos benefícios que o CIMAER está proporcionando, assim como os militares que servem por todo o Brasil também vivem mudanças em prol da meteorologia.

O Capitão Paulo César já serviu em Cuiabá, Recife, Belo Horizonte e São José dos Campos. O militar viu sua vida transformada, mas garante que o valor agregado à essa mudança tem sido valioso. “Estou aqui desde 2018, com a criação do Núcleo CIMAER (NuCIMAER), em que nos dedicamos para a ativação da Unidade. Minha visão dessa mudança é oportunidade de crescimento operacional, técnico e profissional. Podemos trabalhar os fenômenos com uma visão global e não regional como antes. Então, mesmo com todas as mudanças na vida pessoal, o trabalho no CIMAER tem sido oportuno” – avaliou o capitão.

Com o CIMAER será possível proporcionar, a nível nacional, a harmonização das previsões meteorológicas e o acompanhamento dos fenômenos que afetam a aviação.

Compondo o efetivo, encontramos a primeira e única mulher previsora da FAB. “ É com muito orgulho que eu encaro esse desafio. Amo minha profissão. Quando eu entrei na Aeronáutica, em 2002, nós mulheres éramos muito poucas, o que serviu de combustível para que mostrássemos toda a nossa garra, toda a nossa força e que éramos capazes de estar aqui hoje, representando o quadro feminino da FAB” – contou orgulhosa a 1º Tenente Especialista em Meteorologia Alessana Carrijo Rosette, previsora do CIMAER.

E é com esse espírito de profissionalismo, dedicação, comprometimento e evolução que, com muito orgulho, os demais militares são aguardados por todos que hoje compõem a CIMAER. “Estamos em construção, mas em outubro ou novembro o nosso salão operacional estará operante e estaremos prontos para receber os militares de Brasília e Curitiba” – contextualiza o Coronel P. Gomes.

Prover segurança, economia e fluidez no atendimento à navegação aérea, proporcionando a otimização de recursos e o aumento da eficiência da prestação do serviço de Meteorologia Aeronáutica é a finalidade do CIMAER que, aos poucos, controlará os serviços de Meteorologia prestados nos Centros Regionais.

 

Assessoria de Comunicação Social do DECEA

Reportagem: 1º Ten Jor Myrian Bucharles Aguiar

Fotos: Luiz Eduardo Perez