DECEA-Departamento de Controle do Espaço Aéreo

meio ambiente

A questão ambiental, relacionada à aviação, tem sido objeto de atenção do DECEA há algum tempo. Ações pioneiras nessa área, relacionadas ao efeito do ruído no entorno dos aeródromos, obtiveram grande sucesso com a

implementação de procedimentos que viabilizam a descida contínua das aeronaves para aeródromos localizados em regiões densamente povoadas, tais como o Aeroporto Santos Dumont (Rio de Janeiro) e o Aeroporto de Congonhas (São Paulo).

Por intermédio da implementação do Programa SIRIUS, benefícios relacionados à redução de emissão de gases poluentes vêm sendo atingidos, como por exemplo, aqueles relacionados com a implantação progressiva do conceito da Navegação Baseada em Performance (PBN), o qual proporciona rotas mais diretas, assim como procedimentos de chegada e saída mais diretos, ocasionando uma redução do consumo de combustível e consequentemente da emissão de gases poluentes na atmosfera.

Nesse caso, a dimensão dos aprimoramentos na otimização dos fluxos de tráfego aéreo com uma navegação aérea baseada em satélites combinados aos modernos sistemas de bordo, permitiram a implementação do PBN nas terminais aéreas de São Paulo e do Rio de Janeiro alçaram o DECEA em um patamar de destaque na comunidade aeronáutica internacional.

Com a implementação do conceito da PBN no Rio de Janeiro e em São Paulo, aproximadamente 650 procedimentos de chegada e saída foram colocados à disposição dos usuários pelo DECEA ao longo de três anos.

 

De acordo com o Subdepartamento de Operações do DECEA, tais modificações representaram uma redução de aproximadamente 930 milhas náuticas (1.722 km) de percursos de voo na região. Tomando por base o volume de tráfego aéreo das duas terminais, que somam cerca de 2.900 voos diários, aproximadamente 557 toneladas de combustível foram economizadas por dia, gerando benéficos às operações aéreas  e ao meio ambiente.

 

Os benefícios ambientais podem ser traduzidos pela redução de cerca de 1.800 toneladas por dia (ou 460 mil toneladas/ano) na emissão de CO2 na atmosfera. Além disso, o aumento da eficiência dos procedimentos de chegada e saída proporcionaram uma menor exposição ao ruído gerado pelas aeronaves para as comunidades próximas aos aeródromos.