DECEA-Departamento de Controle do Espaço Aéreo

DECEA conclui infraestrutura para operar ADS-B na Bacia de Campos


Na manhã do dia 18 de agosto, a Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), órgão subordinado ao DECEA, inaugurou o Sistema de Vigilância Dependente Automática por Radiodifusão (ADS-B, do inglês Automatic Dependent Surveillance – Broadcast) no Controle de Aproximação de Macaé, RJ. Trata-se de um sistema pioneiro que representa o cumprimento de mais uma etapa do Programa Sirius.

IMG_7465 c

Quando entrar em operação, o ADS-B viabilizará às aeronaves a transmissão de informações como: posição, altitude, velocidade, identificação, radial, destino, origem, razão de subida ou descida, dentre outros, através do VHF data link. Esses dados são difundidos automaticamente, até duas vezes por segundo, para os centros de controle. O sistema permite um maior número de amostras e mais parâmetros sobre as aeronaves do que era convencionalmente possível fazer com o radar secundário. A ferramenta é também menos custosa e é especialmente eficaz em áreas ou terrenos montanhosos onde a cobertura de radar é limitada ou inexistente. Assim, ela amplia as coberturas para níveis mais baixos de voo, onde, anteriormente, o radar não alcançava.

ADS-B na Bacia de Campos

A Bacia Petrolífera de Campos é a região marítima onde estão localizadas as plataformas de petróleo e gás, local com grande movimentação de helicópteros. Porém, como os helicópteros voam em baixa altitude na região, o controle do tráfego aéreo na maior parte da área oceânica é baseado em procedimentos não-radar, o que reduz significativamente a capacidade de controle do espaço aéreo e a eficiência das operações aéreas, sobretudo para operações sob regras de voo por instrumento (IFR).

De acordo com o gerente de Transporte Aéreo Off-Shore da Petrobrás, Clayton Monteiro Mendes, a implantação do Sistema ADS-B na Bacia de Campos é um grande avanço para a segurança aérea do país. “Operacionalmente para a Petrobrás, que atualmente conta com aproximadamente 120 voos por dia só na Bacia de Campos, é um ganho enorme, tanto para a qualidade quanto para a segurança da operação”, afirmou o gerente.

O emprego do Sistema ADS-B na Bacia de Campos possibilitará o acompanhamento do voo de aeronaves em baixa altitude na região oceânica e disponibilizará melhores trajetórias e perfis de voo de interesse das empresas petrolíferas, proporcionando melhores condições de segurança e de gerenciamento do tráfego aéreo na região.

“A tecnologia ADS-B vai complementar o sistema de vigilância por radares já existente, proporcionando a cobertura e identificação das aeronaves em uma distância e altitude que os sistemas convencionais de radares não conseguem fazer. Permite que o sistema transmita mais informações entre a aeronave e órgão de controle, com uma frequência de atualização de dados muito maior. O controlador de voo, em muitas ocasiões, nem vai precisar falar”, esclareceu o Major-Brigadeiro do Ar Carlos Minelli de Sá, Presidente da CISCEA.

O Sistema ADS-B emprega estações distribuídas no continente e nas plataformas de petróleo e gás, em quantidade suficiente para a cobertura necessária ao serviço de tráfego aéreo.

Para o superintendente de Gestão da Navegação Aérea da Infraero, Marcus Vinícius do Amaral Gurgel, a implantação do sistema foi um grande desafio e oportunidade. “A necessidade de implementar a nova tecnologia e a coordenação da regulamentação com diversas empresas trabalhando em conjunto foi um grande desafio para nós e também uma grande oportunidade de trabalhar com a Petrobrás, ANAC (Agência Nacional de aviação Civil), DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), CISCEA e Infraero e de desenvolver uma solução que não é importante só para o controle do tráfego aéreo, mas também para a segurança do país”, destacou.

 

Assessoria de Comunicação Social do DECEA
Foto: Fábio Maciel
(Fonte CISCEA)