Notícias

Unidos em prol do esporte e da educação

publicado: 09/07/2019 12:20

 




Projetos Sociais desenvolvidos nas unidades da FAB promovem inclusão social às crianças e jovens de todo o Brasil

No Caju, na comunidade carente situada na zona portuária da cidade do Rio de Janeiro, o filho de Maria Elzimar, João Arthur, de 11 anos, participa de atividades esportivas e aulas de reforço escolar no Parque de Material de Eletrônica da Aeronáutica do Rio de Janeiro (PAME-RJ). Em outro ponto do País, no bairro do Cajuru, em Curitiba, o estudante Gustavo da Silva, de 17 anos, sai de casa animado para mais um dia de treino de corrida de orientação no Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II). Em Recife, o adolescente João Victor, de 11 anos, pratica várias modalidades esportivas e os primeiros contatos com os militares do Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA III) já despertam no estudante o sonho de seguir a carreira militar.

Como eles, essa é parte da rotina de várias crianças e adolescentes que participam do Programa Segundo Tempo - Forças no Esporte (PROFESP), uma iniciativa do Ministério da Defesa (MD), em parceria com os Ministérios da Cidadania, da Educação e, da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH), desenvolvido por organizações militares de norte a sul do País.

O projeto conta com o apoio de militares e civis do efetivo e de professores de Educação Física da rede pública de ensino, que desenvolvem atividades esportivas e complementares durante o contraturno escolar. São oferecidas também aulas de reforço escolar, atividades socioeducativas, duas refeições balanceadas e transporte.

O PROFESP do CINDACTA III atende a 350 crianças e adolescentes, na faixa etária de 11 e 17 anos, de sete escolas da rede estadual de ensino do Estado de Pernambuco. No Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Fernando de Noronha (DTCEA-FN), unidade subordinada à organização, 50 estudantes participam do projeto.

Segundo o Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Tenente-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, o objetivo do Projeto Forças no Esporte é democratizar o acesso à prática e à cultura do esporte, como fator de formação da cidadania. “Temos percebido mudanças de valores e melhoria da autoestima desses jovens. Essas ações têm contribuído também para mudar a realidade de crianças e adolescentes de áreas de vulnerabilidade social, utilizando o esporte e a educação como instrumentos de transformação”, afirma o oficial-general.

O Vice-Diretor do DECEA, Major-Brigadeiro do Ar Walcyr Josué de Castilho Araujo, destaca a importância do projeto na vida dos estudantes. “Conseguimos transmitir às crianças e adolescentes que estão dentro do ambiente militar questões de valores de patriotismo e de honestidade, além de dar oportunidade para que esses jovens tenham um futuro promissor”.

Várias unidades, preocupadas com a inserção desses jovens no mercado de trabalho, oferecem ainda projetos profissionalizantes, como o “Esquadrão Asa Branca”, coordenado pelo Grupamento de Apoio de Recife (GAP-RF).

O projeto oferece a inserção de adolescentes, na faixa etária entre 14 e 17 anos, em oficinas de auxiliar de escritório, elétrica, informática, telefonia, almoxarifado, garçonaria e musicalização. As atividades são desenvolvidas nas organizações militares de Aeronáutica de Recife, com duração de sete meses. “Os jovens são capacitados ao ingresso no mercado de trabalho, seja dentro ou fora da organização militar. É uma oportunidade única de aprendizado e um meio de integração social”, destaca a Presidente da Associação Asa Branca, Capitão da Reserva Jacilene de Lemos Andrade.

A unidade disponibiliza a parte técnica e o acompanhamento das atividades por meio dos profissionais de serviço social, já a parte financeira é apoiada pela Associação Asa Branca, composta por esposas de militares, que se uniram em prol do projeto, como o apoio à realização de eventos ao longo do ano para arrecadação de fundos beneficentes.

“O projeto oferece uma oportunidade de mudança de vida desses jovens, fazendo a diferença na vida deles. O contato também com os militares é importante para aprender valores como disciplina, respeito, responsabilidade, que serão importantes para a vida pessoal e profissional desses adolescentes”, revela a Presidente de Honra da Associação Asa Branca e esposa do Comandante do CINDACTA III, Taciana Moury Fernandes Guimarães.

Na Organização, os alunos participam de oficinas de auxiliar de escritório, telefonia e musicalização. O jovem Kauã Michel Ferreira dos Santos, 16 anos, participa da oficina de musicalização, que é desenvolvida por militares da Banda de Música do CINDACTA III. “Estou muito feliz em aprender as partituras e tocar flauta. Estou adorando o estágio, vou aproveitar muito essa chance que estou tendo e quero me tornar um militar da Aeronáutica”, almeja.

Mudança de Comportamento

Um dos resultados observados é a mudança de comportamento entre os adolescentes atendidos pelo projeto. Para o professor de Educação Física José Victor Correa de Carvalho, da Secretaria de Educação e Esporte do Estado de Pernambuco, os benefícios se estendem além do esporte. “Agrega disciplina, cooperação e respeito ao próximo, transformando o caráter do indivíduo”, destaca.

A melhora não se restringe apenas ao comportamento. Reflete-se também no desempenho escolar. Daniel Rocha Fernandes foi um dos beneficiados do PROFESP. Em 2014, ele participou do Projeto Cajuzinho no PAME-RJ e hoje é aluno do Colégio Pedro II. “Tive a oportunidade de me preparar com professores altamente qualificados, sendo fundamentais para a minha aprovação no curso. Os exemplos e os ensinamentos adquiridos no convívio com a equipe do projeto me ajudaram a trilhar um caminho melhor para minha vida”, revela o estudante.

Parcerias

Algumas das contrapartidas do Programa Forças no Esporte são as parcerias firmadas entre as unidades militares, instituições governamentais e setores da sociedade civil. “A integração entre o CINDACTA III e a Secretaria de Educação e Esporte do Estado de Pernambuco é um exemplo de união de forças diversificadas em busca de agregar valor à sociedade pernambucana. Com essa parceria torna-se possível um amplo desenvolvimento de ações sustentáveis na formação de jovens em situação de vulnerabilidade social, bem como na difusão dos serviços prestados pela Unidade”, declara o Comandante do CINDACTA III, Brigadeiro do Ar Cesar Faria Guimarães.

Com o objetivo de promover a inclusão social, as organizações militares também estão oferecendo oficinas profissionalizantes. A intenção é fornecer oportunidades para que esses jovens, ao atingirem a idade limite do programa, tenham chances de ingressar no mercado de trabalho. “Participar do curso de gastronomia está sendo de grande valia para a minha carreira profissional”, afirma Ramon Mikael Luz da Rosa, 17 anos, aluno da oficina, que é fruto da parceria firmada entre o CINDACTA II e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC).

Outras frentes de atuação já são delineadas pelo Programa Forças no Esporte. Uma delas é o incentivo ao ingresso no Programa de Atletas de Alto Rendimento das Forças Armadas, desenvolvido pelo Ministério da Defesa em parceria com o Ministério da Cidadania, para os talentos revelados pelo PROFESP.

Um dos exemplos é o aluno Gustavo da Silva Amaral, participante do Núcleo do CINDACTA II. O jovem de 17 anos, em 2018, conquistou a primeira colocação no Campeonato Metropolitano de Orientação de Curitiba e, neste ano, o primeiro lugar do Campeonato Brasileiro de Orientação da Modalidade Sprint. “O projeto me ajudou a crescer não só como atleta, mas como uma pessoa melhor na sociedade, além de dar suporte para eu atingir o meu objetivo de ser, no futuro, um atleta de alto rendimento da FAB”, almeja.

Assessoria de Comunicação Social do DECEA
Reportagem: Denise Fontes
Fotos: Fábio Maciel  e Luiz Eduardo Perez


Assunto(s): Projetos Sociais