Notícia Destaque

Equipe do DECEA é recebida pela Raytheon e participa de testes de modernização dos radares ASR23SS

publicado: 14/03/2018 13:49

 




Com o objetivo de participar dos testes de recebimento em fábrica do primeiro kit de modernização dos radares ASR23SS, a empresa canadense Raytheon recebeu representantes do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) em suas instalações, em Waterloo (Ontario), no Canadá, no período de 26 de fevereiro a 2 de março.


Os radares ASR23SS estão em operação na região Amazônica desde 2000 (foto de Luiz Eduardo Perez Batista)

A comitiva, formada por diversos militares e civis - chefe da Divisão Técnica da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), Tenente-Coronel Engenheiro André Eduardo Jansen, chefe da Subdivisão de Radiodeterminação do Parque de Material de Eletrônica da Aeronáutica do Rio de janeiro (PAME-RJ), Major Especialista em Comunicações Ricardo Antunes Gomes; engenheiros da Organização Brasileira para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Controle do Espaço Aéreo (CTCEA) Paulo Roberto Magalhães e Manoel Luiz Ribeiro -, tiveram a oportunidade de conferir todo o material e fiscalizar os testes em fábrica do novo kit a ser instalado no radar de Rio Branco (AC). 

A atuação da equipe técnica da CISCEA e do PAME-RJ durante a missão assegurou que o projeto esteja alinhado às expectativas e em conformidade com os requisitos técnicos, logísticos e industriais expedidos pelo Subdepartamento Técnico (SDTE) do DECEA. Os técnicos analisaram, também, o cronograma, os planos de trabalho executivo, de treinamento, de operação assistida e de garantia técnica propostos pela empresa Raytheon para a modernização dos radares.

 

O contrato relativo aos serviços técnicos e especializados para a modernização desses radares foi assinado em dezembro de 2016 entre a CISCEA e a empresa Raytheon. Em março de 2017, foram realizadas na CISCEA as atividades de Revisão Preliminar do Projeto (PDR - do inglês "Preliminary Design Review") e, em maio, a Raytheon sediou as atividades da Revisão Crítica de Projeto (CDR, do inglês "Critical Design Review") de modernização dos radares ASR23SS.

Os radares ASR23SS estão em operação na Região Amazônica desde o ano 2000, nas localizados de Conceição do Araguaia e Santarém (PA); Macapá (AP); Porto Velho e Vilhena (RO); Rio Branco (AC); São Luís (MA). A evolução técnica nas linhas de fabricação, a integração cada vez maior de componentes, partes e peças, além da vertiginosa evolução técnica dos sistemas, equipamentos e softwares de tratamento de sinal e de gerenciamento motivam tal modernização que, adicionalmente, proporcionará o aumento de 15 anos no ciclo de serviço, bem como do seu suporte de manutenção.

Para o Tenente-Coronel Jansen, essa participação foi importante e oportuna, uma vez que todos os problemas apresentados durante os testes foram devidamente identificados e as mitigações apresentadas futuramente certamente contribuirão para que a instalação em campo ocorra com menor probabilidade de riscos para o DECEA. "É fundamental, para o sucesso do empreendimento, que as não-conformidades da solução técnica desenvolvida pela Raytheon sejam identificadas e solucionadas ainda em fábrica, contando com todos os recursos de engenharia da empresa, antes de que os equipamentos e sistemas sejam remetidos ao seu destino final, na Região Amazônica, onde é notória a dificuldade técnica e logística para a condução dos trabalhos”, explicou.

A cadeia reduzida do radar primário ASR23SS e as demais estações de testes se encontram hoje na sede do Quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo (CINDACTA IV), em Manaus (AM), porém serão reinstaladas e modernizadas no PAME-RJ, por ser um órgão central de manutenção.

Os próximos passos do projeto serão o treinamento teórico das equipes do CINDACTA IV e do PAME-RJ, o desenvolvimento das evoluções e ajustes de software oriundas de observações nos testes em fábrica, por parte da empresa Raytheon, seguido do recebimento em campo dos subsistemas dos radares a serem evoluídos, assim como de suas novas funcionalidades.


Fonte: Ciscea
Edição: Daisy Meireles


Assunto(s): CISCEA RADAR