Notícia Destaque

Dia Internacional do controlador de tráfego aéreo

publicado: 20/10/2018 20:10

 




Desde os primórdios, a humanidade acalenta o sonho de voar. Ao longo da história, inúmeras foram as tentativas frustradas que, não obstante, contribuíram para um árduo processo de aprendizagem, até que, em 23 de outubro de 1906, Alberto Santos Dumont realizasse a façanha de decolar, por meios próprios, com uma máquina mais pesada que o ar.

Cento e doze anos após aquele heroico feito, o voo passou a fazer parte do cotidiano das pessoas, em um mundo cada vez menor, tendo em vista a forma com que as aeronaves conectam os mais longínquos pontos do planeta, de maneira rápida e regular, tornando-se um meio de transporte confiável e cada vez mais seguro. Intrinsicamente integradas, as estruturas do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro são empregadas para realizar o controle do tráfego civil, bem como na manutenção da soberania do espaço aéreo brasileiro, que, somando-se a outras extensas regiões, estendem a área de responsabilidade brasileira a impressionantes 22 milhões de quilômetros quadrados. No entanto, de nada serviria toda essa complexa engrenagem, não fosse seu bem mais importante, os controladores de tráfego aéreo, homens e mulheres abnegados que labutam anonimamente aos olhos dos milhões de passageiros. Diuturnamente, durante os trezentos e sessenta e cinco dias do ano, militares e civis se alternam nas torres de controle, nos controles de aproximação e nos centros de controle de área, para prover um meticuloso e dinâmico serviço, responsável por ordenar uma variada gama de tráfegos aéreos, realizados com os mais diversos propósitos e por uma miríade de tipos de aeronaves. Da mesma maneira, outros tantos Controladores de Tráfego Aéreo desempenham suas atividades nos Centros de Operações Militares, atuando na garantia da Soberania do Estado brasileiro, nos Centros de Coordenação de Salvamento, empenhando-se na localização e no resgate de vítimas de acidentes, no Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea, buscando o equilíbrio entre a demanda do tráfego e a capacidade da infraestrutura instalada; e há, ainda, aqueles que desenvolvem as tarefas de Planejamento e Regulamentação do Gerenciamento do Tráfego Aéreo e de Capacitação de novos profissionais. Ao longo da carreira, esses profissionais diferenciados são periodicamente avaliados, de maneira a garantir o nível de excelência exigido pela profissão que abraçaram, referendando o profissionalismo com que desempenham. Profissionalismo que, neste ano, em especial, destacamos com a heroica atitude do controlador de tráfego aéreo indonésio, Anthonius Gunawan Agung, de 21 anos, que sacrificou sua vida se recusando a abandonar a torre de controle do aeroporto de Palu, já em ruínas, até que o último avião de passageiros escapasse do terremoto de magnitude 7,5, que, em outubro, deixou mais de 800 mortos naquele país. Cumpre-nos, neste dia 20 de outubro, data em que se comemora o Dia Internacional do Controlador de Tráfego Aéreo, prestar reverência a esses profissionais, pais e mães, filhos e filhas, irmanados na nobre missão de doar-se em prol da coletividade, guarnecendo suas posições operacionais com inderrogável dedicação técnica, superando os possíveis percalços e características peculiares de sua rotina laboral, que, não raro, os priva do convívio familiar nos fins de semana e em datas comemorativas, e personificando os mais genuínos valores de profissionalismo e dedicação, em sua marcha incansável pela manutenção do voo seguro para milhões de passageiros. Parabéns, Controladores de Tráfego Aéreo! Este Departamento tem o orgulho de externar, hoje e sempre, o seu mais sincero reconhecimento pelos serviços tão brilhantemente prestados pelos senhores e senhoras.

Confira como é o trabalho do controlador de tráfego aéreo

Tenente-Brigadeiro do Ar Jefferson Domingues de Freitas

Diretor-geral do DECEA