Notícia Destaque

DECEA marca presença na 7ª edição da Airport Infra Expo

publicado: 04/05/2018 13:26

 




Na semana passada foi realizada a 7ª edição do Airport Infra Expo, evento dedicado à infraestrutura aeroportuária, sob o tema “desenvolvimento sustentável do setor aeroportuário brasileiro: panorama atual e futuro”.



Realizado no Centro de Eventos e Convenções Brasil 21, em Brasília, o encontro reuniu empresas, governo e especialistas no setor e destacou como temas as novas concessões, o Programa de Aviação Regional, análise de mercado – no período de 2011 a 2021 –, o início das concessões, a crise econômica e as projeções para os próximos anos.

No painel de abertura, a idealizadora e Diretora Executiva da Sator, Paula Faria, enfatizou a importância da cooperação para o desenvolvimento do setor.  "Temos a missão de catalisar o desenvolvimento dos aeroportos na América Latina, especialmente no Brasil, e a Airport Infra Expo cumpriu o seu objetivo de reunir o setor para debater as melhores práticas voltadas para a infraestrutura aeroportuária. Aproveito para agradecer o apoio do governo, entidades e empresas, fundamental para o sucesso do evento", declarou.

Estiveram presentes na abertura, o Secretário Nacional de Aviação Civil (SAC), Dario Rais Lopes; o Vice-Diretor do DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), Major Brigadeiro do Ar Leonidas de Araújo Medeiros Junior; o  Superintendente de Regulação Econômica de Aeroportos da Anac, Tiago Sousa Pereira; o Diretor de Operações da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), João Marcio Jordão; o Presidente da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), Eduardo Sanovicz; o Diretor-Geral da Abag (Associação Brasileira de Aviação Geral), Flavio Pires; o Diretor-Presidente da Abesata (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo), Ricardo Miguel.

Dario Rais Lopes falou sobre a estratégia do governo, voltada para a desestatização, com foco nas concessões já realizadas e na melhoria da gestão para alavancar o crescimento regional. "Estamos fazendo uma série de estudos relacionados às mudanças na gestão da Infraero e que serão transmitidas ao próximo governo. Em relação às concessões, com a realização da próxima etapa o número de passageiros atendidos nesses terminais chegará a 70%, totalizando 13 aeroportos concedidos. Nesse cenário, a Infraero fará a gestão das demais 41 unidades", declarou.

O Major Brigadeiro Leonidas descreveu a missão do DECEA, sob a perspectiva do passageiro, destacando alguns processos que as aeronaves realizam para trafegar nos céus do Brasil. O contato com os órgãos de controle começa com a Torre, quando é solicitada autorização para pousos e decolagens. Depois com o Controle de Aproximação (APP), quando o avião inicia os procedimentos de subida e descida, ou ainda, quando o voo passa a ser monitorado pelo Centro de Controle de Área, que gerencia determinadas porções do espaço aéreo.

O oficial-general descreveu ainda a participação de profissionais de diversas especialidades que contribuem com este processo como, por exemplo, o meteorologista aeronáutico, que faz a previsão meteorológica, e ainda, as cartas aeronáuticas, que trazem as rotas sobre as aerovias e outras informações necessárias ao voo. As cartas aeronáuticas são produzidas pelo Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA), organização subordinada ao DECEA.

O Major Brigadeiro Leonidas falou ainda sobre auditoria realizada pela Organização de Aviação Civil Internacional (ICAO), que mostrou que o Brasil detém o segundo lugar em segurança no mundo, com 95% de conformidade ao cumprimento das normas relativas à segurança da Aviação Civil. “Somos rigorosos quanto aos requisitos de segurança, nosso país tem grandes dimensões”.

Por fim, citou o vídeo apresentado pela Abesata, que mostrou a simplicidade do povo brasileiro, para ratificar que o papel da Força Aérea Brasileira de controlar o espaço aéreo é uma questão de segurança nacional. “Somos devotados à Pátria, com sacrifício da própria vida, temos orgulho de ser brasileiros”.

A programação incluiu ainda painéis sobre tecnologias inovadoras em aeroportos, novas concessões e aeroportos concedidos, workshops e uma mesa redonda de encerramento, que debateu as Perspectivas para o Setor nos Próximos Anos.  

O DECEA participou do Painel sobre Controle de Tráfego Aéreo. As apresentações sobre o tema foram realizadas pelo Chefe do Subdepartamento de Operações do DECEA, Brigadeiro do Ar Ary Rodrigues Bertolino, pelo o Diretor da América Latina – SAAB Group, Sergio Martins; pelo Gerente da Atech, Carlos Eduardo Elias Ribeiro; e pelo Diretor da Hobeco, Gilson Feitosa.

Em sua participação, o Brigadeiro Bertolino apresentou as inovações do controle de tráfego aéreo previstas para os próximos anos, como a implantação do R-AFIS, que corresponde a prestação de serviços de tráfego aéreo (ATS) remoto. O R-AFIS prestará o Serviço de Informação de Voo de Aeródromo com o mesmo nível de segurança, confiabilidade e qualidade do atual, prestado por órgão ATS localizado no aeródromo.

Outro ponto destacado foi a implantação de Torre Remota (R-TWR), que também irá prestar o Serviço de Controle de Aeródromo. O R-TWR será baseado na visualização das imagens disponíveis e nas informações conhecidas do tráfego de aeródromo; além de informações de meteorologia aeronáutica; monitoramento dos auxílios à navegação aérea; das condições atualizadas da área de manobras do aeródromo e da infraestrutura aeronáutica.  O projeto pioneiro será na Base Aérea de Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro.

O Chefe do SDOP falou ainda sobre as tecnologias em utilização ou com projeção de instalação, como o ADS-B na Bacia de Campos, que é a implantação de um Sistema de Vigilância Dependente Automática por Radiodifusão (do inglês Automatic Dependent Surveillance – Broadcast) no Controle de Aproximação de Macaé.  E ainda sobre o CPDLC - Comunicação entre Pilotos e Controladores de Tráfego Aéreo por Enlace de Dados, que em breve deverá estender-se aos voos sobre o continente brasileiro.

Sobre a Airport Infra Expo

A Airport Infra Expo está em sua sétima edição e reúne os diversos agentes da esfera aeroportuária, proporcionando troca de conhecimentos, informações e contatos comerciais. Com a abertura das concessões para o setor privado, o mercado brasileiro já é considerado maduro para avançar em competitividade, eficiência, lucratividade e o desenvolvimento da aviação regional nos aeroportos brasileiros.

A Airport Infra Expo contará também com a formatação futura dos mercados dos seguintes setores: Aeroportos (público e privados na América Latina), empresas do setor, governo, associações, universidades e companhias aéreas.

Assessoria de Comunicação Social do DECEA
Gisele Bastos - Jornalista
Fotos - Fábio Maciel