Notícia Destaque

CINDACTA II realiza reunião sobre a padronização dos equipamentos de segurança eletrônica no âmbito do SISCEAB

publicado: 30/10/2019 13:07

 




O Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II) realizou, no dia 22 de outubro, uma reunião para tratar da padronização de equipamentos de Segurança Eletrônica no âmbito do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB), em sua sede em Curitiba (PR).

Uma  Portaria e uma Diretriz foram assinadas pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), e atribuem ao CINDACTA II a competência de projetar, implantar e modernizar a estrutura básica do Sistema de Segurança Eletrônica nas organizações do DECEA, envolvendo as atividades de Vigilância Eletrônica (VE), Controle de Acesso (CA) e Detecção de Intrusão (DI).

As documentações estabelecem à organização prover a capacitação de recursos humanos, realizar auditorias e inspeções e atuar como parque logístico de equipamentos de Segurança Eletrônica.

De acordo com o comandante do CINDACTA II, Coronel Aviador Marcos Kentaro Adachi, o processo de padronização visa também capacitar os militares das organizações para realizarem a operação, o manuseio e a manutenção dos Sistemas de Segurança Eletrônica (SisSE). “Foi criado um conteúdo de Ensino a Distância (EAD) em parceria com o Instituto de Controle do Espaço Aéreo (ICEA) para potencializar a capacidade de instrução. O curso já está validado e em vigor”, revelou o oficial.

O Curso de Implantação e Manutenção de Segurança Eletrônica (OSD 001), tem o objetivo de capacitar recursos humanos para realizar a implantação e a manutenção dos equipamentos na atividade de Vigilância Eletrônica (VE) no âmbito da Força Aérea Brasileira (FAB). “O curso oferece conhecimentos básicos ao discente para atuar na identificação de panes, instalações e reparos de equipamentos de vigilância eletrônica patrimonial”, esclareceu o Assessor de Segurança Eletrônica do CINDACTA II, Coronel Aviador R1 Miguel Humberto Alexandre Dias.

Nesse contexto, o aluno desenvolverá diversas atividades teóricas e práticas, necessárias ao aprimoramento das atividades técnicas nos Subsistemas de Vigilância Eletrônica do DECEA, de acordo com as técnicas de ensino voltadas ao aprimoramento das correspondentes competências.

A fase EAD está acontecendo no período de 14 outubro a 1 de novembro, com tutoria sediada no ICEA e conta com instrutores do CINDACTA II.

Segundo o Coronel Miguel, qualidade e economicidade devem caminhar juntos à capacitação de recursos humanos no âmbito das organizações subordinadas ao DECEA. “Deve ser implantada uma doutrina única, possibilitando a operação, o manuseio e a manutenção dos sistemas de segurança eletrônica”, pontuou.

O Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA III) também está responsável pela adoção de medidas de segurança eletrônica, visando a padronização e a interoperabilidade das atividades de vigilância eletrônica, controle de acesso e detecção de intrusão no âmbito do DECEA e de suas organizações subordinadas.

“Todas as atividades que realizamos no CINDACTA II são coordenadas diretamente com o CINDACTA III, para que possamos caminhar juntos e nivelar o conhecimento, para estarmos no mesmo nível em termos de gerenciamento de ativo de segurança eletrônica, de forma que todo o Sistema possa ser atendido por esses dois Regionais”, ressaltou o Coronel Adachi.

Emprego da Segurança Eletrônica pelo CINDACTA II

O emprego do Sistema de Segurança Eletrônica no CINDACTA II consiste na integração da vigilância com o monitoramento de imagens pelo circuito fechado de TV, o controle de acesso eletrônico e uma central de alarmes de instrução, que juntos garantem a segurança das organizações pertencentes ao DECEA, possibilitando e direcionando as ações de uma Força de Reação, para se contrapor a qualquer motivação ou ator capaz de causar de danos ou prejuízos às operações.

A finalidade é garantir  a segurança das instalações, do efetivo e dos equipamentos que compõem as organizações do SISCEAB, além do apoio às operações militares, como ocorreu no exercício operacional Cruzeiro do Sul, a CRUZEX 2018”, explicou o comandante do Esquadrão de Segurança e Defesa de Curitiba, Tenente-Coronel de Infantaria Alexis Cezar Lins da Silva.

Assessoria de Comunicação Social do DECEA 
Reportagem: Denise Fontes 
Fotos: 2S R. Rodrigues (CINDACTA II)