Notícia Destaque

CINDACTA II é pioneiro na padronização de vigilância eletrônica no SISCEAB

publicado: 13/07/2018 15:54

 




Padronização e interoperabilidade dos equipamentos de vigilância eletrônica das organizações do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB) são propósitos das duas portarias assinadas pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), que atribuem ao Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II) a competência de projetar, implantar e modernizar os sistemas de proteção e monitoramento das instalações das unidades.

As portarias estabelecem ao CINDACTA II prover, também, a capacitação de recursos humanos, realizar auditorias e inspeções e atuar como parque logístico de equipamentos de vigilância eletrônica.

De acordo com o vice-diretor do DECEA, Major-Brigadeiro do Ar Leonidas de Araújo Medeiros Junior, o processo de padronização tem o objetivo de proporcionar uma economia de recursos, além de capacitar os militares das organizações para realizarem a operação, o manuseio e a manutenção dos sistemas de vigilância eletrônica. “A ideia é garantir o monitoramento, visando à segurança das instalações, do efetivo e dos equipamentos”, revela o oficial-general.

Histórico

A Seção de Vigilância Eletrônica (SVE) foi criada em 2001, com a chegada do Sargento Antonio Marcos Paes ao Batalhão de Infantaria (BINFA 55). Com o processo de Reestruturação da Força Aérea Brasileira (FAB) foi renomeado Esquadrão de Segurança e Defesa de Curitiba.

Nesse período foram ministrados diversos cursos, formando mais de 500 profissionais, proporcionando aos participantes capacitação teórica e prática para realizar a implantação e manutenção nos equipamentos, bem como padronizar os procedimentos a serem adotados em relação à segurança das instalações.

O soldado Alexsander Soares Fastino foi integrante do efetivo do CINDACTA II por cinco anos e fez o curso de vigilância eletrônica. “O conhecimento que absorvi foi fundamental para minha carreira, facilitando meu ingresso no mercado de trabalho”, reconhece Fastino, que após dar baixa do serviço militar, foi aprovado no concurso para soldado da Polícia Militar do Paraná.

Além do apoio às diversas organizações do Comando da Aeronáutica (COMAER), o Esquadrão também implantou sistemas de segurança para várias instituições públicas, como Exército, Polícia Militar do Paraná (PMPR) e Guarda Municipal de Curitiba. “Temos uma grande interação com esses órgãos, compartilhando informações, trocando experiências e estreitando relações institucionais”, afirma o comandante do CINDACTA II, Coronel Aviador Marcos Kentaro Adachi.

A parceria entre o CINDACTA II e a PMPR resultou na operacionalização do sistema de videomonitoramento do Centro Integrado de Comando e Controle Móvel (CICCM), que tem a função de prestar apoio em grandes eventos sob a responsabilidade da Polícia Militar. “Foi um importante aprendizado para o efetivo, contribuindo para integração entre a FAB e a Polícia Militar e o aperfeiçoamento de nossas atividades”, relata o chefe do setor de Novas Tecnologias da PMPR, Capitão Ricardo Schwambach.

Experiências em grandes eventos

Criado em 2009, o projeto do módulo móvel de vigilância eletrônica foi referência nos grandes eventos e se destacou pelo emprego de alta tecnologia. A unidade é equipada com câmeras e telas para monitoramento de áreas estratégicas, capaz de funcionar 24 horas, nos mesmos moldes de uma sala de vigilância física. “A viatura atua tanto em eventos externos como nos exercícios da FAB, aumentando a segurança de suas atividades”, explica o comandante do Esquadrão de Segurança e Defesa de Curitiba, Major de Infantaria Alexis Cezar Lins da Silva.

O sistema de vigilância eletrônica já foi empregado em grandes eventos, como a Copa do Mundo de 2014 e nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, sendo realizado em apoio às organizações militares responsáveis pela defesa do espaço aéreo no Rio de Janeiro durante o período das competições. “Proporcionamos a visualização em tempo real de diversos pontos do local para tomada de decisões pelo Comando e Controle, garantindo a segurança deste grande evento”, esclarece o Sargento Paes, um dos responsáveis pela montagem da unidade móvel de vigilância.

“Estamos atendendo à diretriz do Comandante da Aeronaútica, que visa à melhoria contínua dos processos e ao aumento da efetividade dos recursos humanos, fianceiros e técnicos”, afirma o Coronel Adachi.