Notícias

Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico da região Amazônica coordena operação em Roraima

publicado: 04/11/2014 15:36

 




O Esquadrão Pelicano (2°/10° GAV) e o do Esquadrão Harpia (7°/8° GAV), unidades militares da Força Aérea Brasileira tiveram papel preponderante no trabalho de localização e resgate dos sobreviventes da aeronave Cessna prefixo PP-FFR, que desapareceu no dia 26 de outubro, logo após decolar de Santa Maria do Boiaçú, região sul de Roraima, para Boa Vista.

A operação foi coordenada pelo Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico da região Amazônica, do Quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV).

O trabalho de buscas começou no dia seguinte ao desaparecimento, segunda-feira (27).  As buscas aéreas foram feitas por equipes da Força Aérea Brasileira. O Corpo de Bombeiros e o Exército iniciaram as buscas em patrulhamento fluvial pelo Rio Branco junto às comunidades ribeirinhas.

A tripulação da aeronave SC-105 Amazonas, do Esquadrão Pelicano, confirmou a localização na tarde de quinta-feira (30), do avião desaparecido. O Cessna, de propriedade do governo de Roraima, foi encontrado a cerca de 200 km da capital Boa Vista (RR), aparentemente, sem grandes avarias.

Um boné e uma bandeira improvisada ajudaram na localização dos sobreviventes no meio da mata fechada. Um bilhete encontrado pelos militares permitiu ao Salvaero Amazônico planejar a nova área de busca pelas vítimas, que não estavam mais no local do acidente.

“Observei na vertical um objeto na cor vermelha, que estava em um sentido perpendicular à rota da aeronave. Pedi para o avião se aproximar daquele local para realmente ter certeza do que era”, relatou o Sargento Alexandro Andrade Barros, observador de busca e salvamento da equipe embarcada no avião SC-105 Amazonas.

Os voos reiniciaram na manhã de sexta-feira, dia 31, e o resgate aconteceu logo em seguida, por volta das 13 horas (horário de Brasília). Depois do avistamento, um dos militares, chamado de resgateiro, Sargento Douglas Gregório Peixoto, desceu pelo guincho do helicóptero H-60 Black Hawk, do Esquadrão Harpia.

Entre os ocupantes da aeronave estavam uma grávida de 9 meses, um recém-nascido e a mãe do bebê. “A mulher grávida com o bebê foram os primeiros a serem içados. A mãe da criança, o enfermeiro e o piloto foram em seguida”, contou o Sargento.

O Capitão Aviador Miguel Lis Bruno, piloto do avião SC-105 Amazonas, disse que o acesso ao local foi o maior desafio da operação por ser de difícil acesso, com árvores altas e áreas pantanosas.

Segundo a assessoria de comunicação do Governo de Roraima, o piloto e o enfermeiro foram levados para o Hospital Geral de Roraima (HGR), as duas mulheres e a criança para o Hospital Materno-Infantil. Todos passam bem.

Assessoria de Comunicação Social (ASCOM) do DECEA Texto: Gisele Bastos (MTB 3833 PR) – giselegclb@decea.gov.br Fotos: CECOMSAER


Assunto(s): Busca e Salvamento