Notícia Destaque

5° Fórum de Empresários de Drones tem participação do DECEA com avaliação do primeiro ano da regulamentação

Fórum se consolida como o principal espaço para o setor empresarial mapear seus desafios, se comunicar com o mercado e também com os órgãos de segurança pública e reguladores.


publicado: 14/05/2018 16:04

 




Realizado em São Paulo,  no dia 14 de maio, no Hotel Belas Artes, em São Paulo, o 5º Fórum de Empresários de Drones reúne entidades reguladoras, fabricantes, importadores e prestadores de serviços.

Desde 2015, o evento trata de assuntos técnicos e de negócios. Em 2018, segue representando o principal espaço para o setor empresarial. 

O evento acontece um dia antes do início da feira DroneShow Latin América, que acontecerá a partir de amanhã (15/05) até 17 de maio.

Como órgãos reguladores, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) participaram ativamente de quase todas as apresentações do evento.

Em 2016, o Fórum tratou de mostrar o raio-x do setor de drones, com a presença da ANAC e do DECEA, quando ainda não estava regulamentado o setor. Já em 2017,  apresentou como tema principal a regulamentação, então recém-lançada. Agora, em 2018, foi avaliado o estágio atual do mercado após um ano da regulamentação pela ANAC e pelo DECEA - como o assunto principal do Fórum. 

"O que norteia o nosso trabalho é qualidade, rentabilidade e segurança" - declarou Emerson Zanon Granemann, CEO e publisher do Mundo Geo,  em sua apresentação, falando da sintonia com o DECEA e a ANAC.

"Neste setor de drones, a MundoGEO tem como propósito conectar a cadeia produtiva do setor com a comunidade usuária, acadêmica e as entidades reguladoras. Desta forma, gera condições do mercado crescer de forma sustentável, priorizando a segurança e a qualidade dos serviços e produtos ligados a este segmento" - relata o CEO no  site do evento.

Emerson falou da evolução do setor e lembrou que há três anos, no fórum, havia sete pessoas que tinham noção dos conceitos aeronáuticos, sendo cinco do Força Aérea Brasileira (FAB).  "Ou seja, não havia conhecimento do setor. Então procuramos sempre inserir o compromisso com a segurança".

No decorrer do dia, foram tratados os avanços, as pendências e as novas perspectivas, sob o ponto de vista da legislação, contratação de serviços com qualidade, rentabilidade e segurança jurídica e os novos mercados para o setor.

Foram apresentadas, também, com participação do DECEA, propostas de habilitação de piloto remoto. Em seguida, foi discutida a responsabilidade pela orientação, fiscalização e, se for o caso, punição dos pilotos remotos e os contratantes como solidários.

Na apresentação final do DECEA, foi divulgada a campanha #DroneConsciente. O Tenente-Coronel Vargas falou das ações e dos resultados. O oficial representante do DECEA mostrou ao público como participar da campanha.