Notícia Destaque

Aplicativo de Plano de Voo registra 11 mil downloads

A ferramenta é gratuita e está disponível nas versões IOS e Android


publicado: 06/12/2017 14:05

 




O aplicativo FPL BR - ferramenta para a elaboração, validação, envio e atualização dos dados do plano de voo pela internet - já teve 11 mil downloads nas lojas Google Play e Apple Store, após o seu lançamento no dia 23 de outubro.

Pilotos civis e militares podem fazer o download do aplicativo desenvolvido pela Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), em parceria com a empresa Atech Negócios em Tecnologia S/A, do grupo Embraer.

Segundo o adjunto da Divisão de Operações da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), Tenente-Coronel Aviador Ricardo Barbosa Arrais de Oliveira, o aplicativo superou as expectativas dos responsáveis pelo projeto e dos usuários. “A média de avaliação do FPL BR conquistou níveis positivos, numa escala até cinco, recebeu nota 4.7, e foram apresentados com o aplicativo mais de 35 mil planos de voo”, avaliou o gerente do projeto.

Segundo o chefe do Subdepartamento de Operações do DECEA, Brigadeiro do Ar Luiz Ricardo de Souza Nascimento, o Brasil tem um fluxo de 8.500 voos diários. “Esse é o número de planos de voos que chegava todos os dias nas Salas de Tráfego Aéreo e nas Salas de Informações Aeronáuticas (AIS) de todo o Brasil. Era necessário acompanhar a modernização e garantir a praticidade para melhorar a fluidez do sistema”, explicou o oficial-general.

A interface disponibiliza, ainda, a consulta de plano de voo completo (PVC) e simplificado (PVS), além de mensagens de atualização relacionadas à modificação (CHG), cancelamento (CNL) e atraso (DLA). “Podem ser consultados dados de meteorologia, aeródromos, definição do nascer e pôr do sol em cada canto do país, garantindo mais segurança nas operações e, consequentemente, facilitando o controle do espaço aéreo”, reforçou o Brigadeiro Luiz Ricardo.

Outra funcionalidade é o recebimento de notificações sobre a aprovação ou reprovação das mensagens enviadas. Possibilita, também, ao usuário fazer solicitação de cadastro no Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), gerenciar os dados pessoais, além de permitir uma integração com outros órgãos fiscalizadores, como a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeronáutica (INFRAERO) e a Assessoria para Assuntos de Tarifas de Navegação Aérea (ATAN). “Qualquer um pode baixar gratuitamente o aplicativo, mas para enviar o plano de voo é necessário um código disponibilizado pela ANAC e pelas unidades aéreas, no caso da aviação militar”, explicou o oficial-general.

Otimização dos recursos humanos

A previsão é que em dois anos, com a adesão dos pilotos à nova ferramenta, ocorra uma diminuição de mais de 50% no envio do plano de voo presencial ou por telefone, podendo chegar a 80% em algumas localidades. “O aplicativo trouxe vários benefícios, tanto para o usuário como para a Força Aérea Brasileira. Os pilotos têm mais uma forma de acesso ao envio de planos de voo, de maneira mais ágil e fácil, além de racionalizar o uso das Salas AIS, tornando o serviço mais eficiente e unificado, de acordo com a reestruturação da FAB colocada em curso pelo Comandante da Aeronáutica”, avalia

Aprovação dos usuários

A fase de testes envolveu mais de dois mil pilotos militares e civis que usaram a ferramenta por um período de aproximadamente seis meses. A Tenente Aviadora Datiza Vitória da Silva, piloto do Segundo Esquadrão de Transporte da Ala 15 na Base Aérea do Recife, foi uma das que participaram dos testes e destacou as vantagens da nova ferramenta da FAB. “O sistema já preenche as lacunas e diminui a possibilidade de erro, além de ser mais fácil de usar”, afirmou.

Para o piloto de helicóptero e ultraleve Alessandro Rocha dos Santos, o sucesso do aplicativo é consequência da integração entre o usuário e o operador. “Foi um trabalho executado por profissionais da aviação que estão no DECEA e que entendiam a necessidade de facilitar o processo. Além disso, foram consideradas as opiniões dos pilotos que estavam participando do processo de testes”, revelou.

Segundo o Brigadeiro Luiz Ricardo, o DECEA ainda está recebendo sugestões para a melhoria e evolução da ferramenta. “Em breve iremos disponibilizar, nesse aplicativo ou em outro, todas as cartas aeronáuticas disponíveis no Brasil, para facilitar ainda mais a navegação dos pilotos”, antecipou. 

Assessoria de Comunicação Social do DECEA
Texto: Denise Fontes - Jornalista
Fotos: Fábio Maciel 
Fonte: Diálogo Revista Militar Digital